• Celorico de BastoS
  • JardinsS
20080622153855609882 1 538 300
Pontuação
Ainda não tem opiniões registadas
3678 visualizações
Chart?chst=d map spin&chld=0
0 visitas
Morada

Lug. do Cruzeiro, EN 210, entre Celorico de Basto e Fermil

Lugar: Cruzeiro
Freguesia: MOLARES
Concelho: CELORICO DE BASTO


4890-414

Latitude
41.39279872604712
Longitude
-7.999394426533286

Jardim do Séc. 18 / 19 / 20. Jardim de planta rectangular, murado, disposto em patamar elevado, à altura do segundo piso da casa. Possui dois acessos, um por passadiço, comunica directamente ao segundo piso da casa, e outro, o principal, virado ao terreiro fronteiro à casa, com escadaria constituída por três lanços rectos, com estreito patamar entre os dois primeiros, possuindo, do lado esquerdo, adossado ao muro de suporte do jardim, tanque de lavar rectangular, em granito, com lavadouros incli

Jardim do Séc. 18 / 19 / 20.
Jardim de planta rectangular, murado, disposto em patamar elevado, à altura do segundo piso da casa. Possui dois acessos, um por passadiço, comunica directamente ao segundo piso da casa, e outro, o principal, virado ao terreiro fronteiro à casa, com escadaria constituída por três lanços rectos, com estreito patamar entre os dois primeiros, possuindo, do lado esquerdo, adossado ao muro de suporte do jardim, tanque de lavar rectangular, em granito, com lavadouros inclinados e lisos, na face frontal e laterais, abastecido por caleira com um tubo que conduz água do jardim. Do lado oposto, patamar mais baixo, com muro ritmado por pináculos e acesso central, com três aberturas circulares no pavimento, para a cisterna. No fim do segundo lanço da escadaria, encontra-se pequeno portão de ferro que corta o muro de suporte do jardim, percorrido com alegretes. O último lanço, já dentro da área murada é ladeado por duas grandes camélias topiadas em forma de cilindro, com cerca de dez metros de altura e três de diâmetro. O jardim é dividido em oito canteiros rectangulares limitados por dupla sebe de buxo formando estrutura de caminhos em que o mais longo, central, paralelo ao muro de suporte, é perpendicular a outros cinco mais curtos. No cruzamento central, alinhado com o acesso principal rotunda definida por parede vegetal de camélias, com arcos recortados, constituindo portas e janelas, possuindo ao centro chafariz de tanque circular com repuxo central. O caminho mais longo é ritmado por três casas de fresco talhadas em camélias, todas diferentes, duas delas com tectos abobadados formando pequenos espaços de estadia com mesa de granito. O limite NE. do jardim virado ao exterior é protegido por balaustrada de pedra ao longo da qual se dispõem bancos. No vértice NO., camélia talhada em chapéu-de-sol sobre bancos dispostos em L, no vértice da balaustrada, com mesa circular de pedra. Alguns canteiros de buxo são preenchido com plantações hortícolas e pomar e outros com espécies ornamentais. A O., por detrás do parterre de buxo, corre caminho em parte com latada de vinha, que acompanha o muro de suporte de um outro patamar existente a cota superior. O acesso a esse patamar é feito por escadaria, alinhada com eixo central do jardim. Os caminhos paralelos aos muros de suporte do jardim prolongam-se para espaço com piscina rectangular, rodeada por extenso relvado e árvores de fruto.
Séc. 12 - A propriedade encabeçava de um dos 29 casais agrícolas em que se encontrava dividida na altura a antiga villa agrária da época romana; provável instituição da paróquia de Santo André de Molares, pelos moradores; séc. 15 - Fernão Pinto é o proprietário mais antigo de que se tem conhecimento; 1572 - o Casal do Campo é concedido a Fernão Pinto, neto do primeiro proprietário, contra pagamento de foro; 1641 - D. Catarina Pinto, filha de Gaspar Pinto, proprietário do Casal do Campo, casa com Francisco Álvares de Carvalho; 1734 - Torcato Álvares de Carvalho, filho de Francisco Álvares de Carvalho, e bisneto de D. Catarina Pinto e Francisco Álvares de Carvalho, após o regresso do Brasil, onde fez fortuna, casa com D. Maria Andrade Leite de Paços; provável construção do jardim; são provavelmente desta altura os alegretes que rematam o muro de suporte do jardim e a camélia situada no ângulo NO. do mesmo; séc. 18, segunda metade - sucede a Torcato Álvares de Carvalho, o seu filho António Luís Álvares Pinto de Andrade e Carvalho (1735 / ?), que casa com D. Isabel de Meireles Leite Pereira, herdeira das Casas da Igreja e de Santo Antonino; 1759 - Francisco de Meireles de Sequeira Leite, filho e herdeiro de António Luís Álvares Pinto de Andrade, casa com Francisca de Paula Mascarenhas Rangel de Quadros Soares de Albergaria; 1763 - instituição da capela dedicada a Nossa Senhora da Abadia; 1842 - António Maria Meireles Pereira Leite Rangel Quadros (1800 / 1874), Fidalgo Cavaleiro da Casa Real, filho e herdeiro de Francisco de Meireles de Sequeira Leite, casa com D. Maria das Dores Teixeira Coelho Freire de Andrade; é de crer que tenha sido este casal, o responsável pela nova plantação das camélias para serem topiadas em formas geométricas; 1874 - sucede como Senhor da Casa do Campo, Francisco de Meireles Leite Teixeira Coelho (1844 / 1915), filho de António Maria Meireles Pereira Leite Rangel Quadros; 1882 - Francisco de Meireles Pereira Leite Teixeira Coelho casa com D. Adelaide Augusta Borges Vieira de Castro; 1915 - sucede como Senhor da Casa do Campo, Francisco de Meireles Teixeira Coelho (1893 / 1959), filho de Francisco de Meireles Pereira Leite Teixeira Coelho; séc. 20 - Francisco Garrido de Meireles (1924) casa com a actual proprietária; década de 90 - abertura da casa ao turismo de habitação.