1 2 3 4 5

Quinta e Casa do Prado (Câmara Municipal)

  • Celorico de BastoS
  • QuintasS
20080911101522421666 1 538 300
Pontuação
Ainda não tem opiniões registadas
3742 visualizações
Chart?chst=d map spin&chld=0
0 visitas
Morada
Av. da República
Freguesia: BRITELO
Concelho: CELORICO DE BASTO

4890-220
Latitude
41.398321
Longitude
-7.988809
Quinta do Séc. 16 / 17 / 18 / 19. Quinta de exploração agrícola murada, com portal principal a S., casa de habitação, jardim, alameda arborizada que liga a outro portal a NE., parque arborizado, casas de apoio agrícola, eira e espigueiro e terrenos de cultivo*1. Portal principal rasgado no muro da quinta, rebocado e pintado de amarelo, em pano murário mais elevado, ladeado por cápeas com merlão, enquadrado por pilastras toscanas sobrepujadas por plintos com motivo vegetalista, cornija e pináculo coroados por concha. Remate em friso com ornatos de botões, cornija saliente e frontão de aletas, interrompido por cartela decorada por motivos vegetalistas. Portal de verga recta, ladeado superiormente por arabescos, comunicando com extensa alameda de buxo, entre topiárias de japoneiras, ladeada a E. por zona relvada com lago rectangular e a O. por estrutura alpendrada. Em quota mais baixa, fonte com espaldar recto, enquadrada por pilastras toscanas e remate por friso e cornija, com plinto com aletas e pináculo piramidal truncado, no vértice. Duas bicas em forma de losangulo, com taça rectangular sobre pilares de secção quadrada, e tanque rectangular. CASA de planta em U, formando pátio posteriormente, composta por três corpos articulados, com torre adossada a N.. Volumes escalonados, de dominante horizontal, quebrada pelo verticalismo da torre, com coberturas diferenciadas em telhados de três e quatro águas. Edifício de um e dois pisos, em terreno desnivelado, com fachadas rebocadas e pintadas de amarelo e em aparelhos "mixtum vittatum" e pseudo-isódomo e nas fachadas voltadas ao pátio, posterior e torre.Embasamento em cantaria de granito, nas fachadas principal e laterais, com remates em cornija sob beiral saliente,beiral nas fachadas laterais, voltadas ao pátio e ameias na torre. Fachada principal voltada a S, de dois pisos, simétrica, com friso a preceder a cornija de remate,, de três panos, delimitados por pilastras toscanas colossais, sobrepujadas por urnas. Pano central com portal principal, em arco abatido sobre pilastras toscanas, ladeado por janelas jacentes em arco abatido, no primeiro piso, e, no segundo, lójia com 5 vãos em arco abatido sobre 6 colunelos, assentes em plintos recortados que rasgam o muro. Interior da lójia com cobertura em tecto de caixotões de madeira e pavimento em tijoleira. Paredes com silhar de azulejos de composição figurativa, monócromos a azul cobalto, com cenas de género e barras com volutas e conchas, entre portas com molduras de madeira, encimadas por friso de dentículos e cornija recta. Panos laterais rasgados, no primeiro piso, por janela de arco abatido encimada, por janela de sacada com frontão de aletas interrompido por concha, com varanda e balaustrada em granito, sobre mísulas volutadas.Fachada lateral O., assimétrica, demarcada no extremo S., por pano ligeiramente elevado, entre pilastras colossais com urnas, sugerindo verticalidade em ângulo com a fachada principal, rasgado por janela de verga recta de guilhotina. Restante fachada rasgada no primeiro piso por portas e janelas de verga recta e gateiras gradeadas e no segundo por janelas de verga recta de guilhotina. No extremo N., corpo da torre, com gárgula zoomórfica, no cunhal, rebocado e pintado, até à altura da fachada, prolongando-a, rasgado por porta de verga recta, no segundo piso, protegida por alpendre sustentado por colunelos, a que se acede por escadaria de pedra, paralela, de lanço único, recto, com arranque volutado. Fachada lateral E., voltada a terreiro, de um só piso, ritmada por pilastras toscanas coroadas por urnas, entre janelas em arco abatido, de guilhotina, de moldura recortada. Ao centro, portal em arco abatido, precedido por escadaria de 5 degraus de granito, semicirculares.Fachadas voltadas ao pátio, , com varanda alpendrada de ferro e madeira, sobre arcaria simples, com duas portas, no primeiro piso, e três no segundo, a E.,a S., três janelas rectangulares, em cada um dos pisos, sendo as do primeiro resultantes do entaipamento de portas, e a O., janela de guilhotina no segundo piso e no corpo da torre, janela de guilhotina, no primeiro piso, junto ao pavimento, e no segundo janela idêntica e porta de acesso precedida por escadaria de pedra de lanço único, recto, com patamar superior apoiado em pilar de secção quadrada. Fachada posterior do braço E., rasgada por janela de guilhotina de verga recta, de moldura recortada. INTERIOR distinguindo-se, no primeiro piso, a ala N., com adegas, lojas e arrumos, e a ala , com refeitório, copa, cozinha, casas de banho e ateliers oficinais, de apoio à formação profissional. No segundo piso, salões intercomunicantes, com tectos de estuque e pavimento de madeira, gabinetes e salas de aula. Na torre, antiga cozinha com tecto de madeira, com travejamento à vista e pavimento cerâmico. Chaminé em betão, assente em pilares de pedra de secção quadrangular. À esquerda forno de pedra. A ladear a casa, a O., JARDIM de topiárias de japoneira, inscritos em quadras de buxo, com fonte circular, ao centro, delimitado por arcaria topiada de japoneira a S.. EDIFÍCIOS AGRICOLAS, transformados em auditório e dormitório para os formadores. EIRA, murada, com pavimento em laje de cantaria. Junto a esta, ESPIGUEIRO estreito e comprido de paredes aprumadas com corpo de madeira com ripado vertical, assente em mesa sobre pés de pedra, com mós circulares. Cobertura em telhado de duas águas. ARQUITECTO: Luís Soares Carneiro (1994); D. Emília Ermelinda (atr. projecto do jardim). Séc. 13 - Referência a Gonçalo do Prado; 1520 - referência a João Gonçalves do Prado, 6º Senhor da Casa do Prado; 1534 - sucede-lhe seu filho, Martim Annes do Prado; séc. 16 - provável edificação da torre; séc. 17 - edificação de uma casa; 1661 - D. Maria Ângela Ribeiro, herdeira do senhorio, casa com Roque Pinto Dá Mesquita de Lemos, sargento-mor da milícia de Basto e juiz ordinário da vila; séc. 18, finais - construção da casa; 1758 - nasce José Pinto Machado Dá Mesquita de Lemos e Vasconcelos, Senhor da Casa do Prado e capitão-mor da milícia de Gestaçô e comandante da 11ª Brigada das Ordenanças do Minho; 1780 - nasce o seu filho Luiz Pinto Machado Dá Mesquita de Queiroz e Lemos, que foi Senhor da Casa do Prado e tenente-coronel das milícias de Basto; séc. 19 - obras de beneficiação; colocação dos azulejos da lójia; construção do portal principal; é Senhor da Casa do Prado, José Pinto Machado Dá Mesquita de Queiroz e Lemos (1808-1849), que casa com D. Emília Ermelinda Ferreira Pinto Basto (1813 / ...); construção do jardim de topiárias por iniciativa de D. Emília Ermelinda *4; 1891 - colocação do portão de ferro, na entrada NE. da quinta; 1918 - a Casa do Prado, constituída por todos os seus bens imóveis, é vendida pela família Pinto Dá Mesquita *5; 1994 - recuperação integral do edifício; construção de um edifício anexo para serviços camarários, segundo o projecto do arquitecto Luís Soares Carneiro.
Quinta do Séc. 16 / 17 / 18 / 19.
Quinta de exploração agrícola murada, com portal principal a S., casa de habitação, jardim, alameda arborizada que liga a outro portal a NE., parque arborizado, casas de apoio agrícola, eira e espigueiro e terrenos de cultivo*1. Portal principal rasgado no muro da quinta, rebocado e pintado de amarelo, em pano murário mais elevado, ladeado por cápeas com merlão, enquadrado por pilastras toscanas sobrepujadas por plintos com motivo vegetalista, cornija e pináculo coroados por concha. Remate em friso com ornatos de botões, cornija saliente e frontão de aletas, interrompido por cartela decorada por motivos vegetalistas. Portal de verga recta, ladeado superiormente por arabescos, comunicando com extensa alameda de buxo, entre topiárias de japoneiras, ladeada a E. por zona relvada com lago rectangular e a O. por estrutura alpendrada. Em quota mais baixa, fonte com espaldar recto, enquadrada por pilastras toscanas e remate por friso e cornija, com plinto com aletas e pináculo pinamidal truncado, no vértice. Duas bicas em forma de losangulo, com taça rectangular sobre pilares de secção quadrada, e tanque rectangular. CASA de planta em U, formando pátio posteriormente, composta por três corpos articulados, com torre adossada a N.. Volumes escalonados, de dominante horizontal, quebrada pelo verticalismo da torre, com coberturas diferenciadas em telhados de três e quatro águas. Edificio de um e dois pisos, em terreno desnivelado, com fachadas rebocadas e pintadas de amarelo e em aparelhos mixtum vittatum e pseudo-isódomo e nas fachadas voltadas ao pátio, posterior e torre.Embasamento em cantaria de granito, nas fachadas principal e laterais, com remates em cornija sob beiral saliente,beiral nas fachadas laterais, voltadas ao pátio e ameias na torre. Fachada principal voltada a S, de dois pisos, simétrica, com friso a preceder a cornija de remate,, de três panos, delimitados por pilastras toscanas colossais, sobrepujadas por urnas. Pano central com portal principal, em arco abatido sobre pilastras toscanas, ladeado por janelas jacentes em arco abatido, no primeiro piso, e, no segundo, lójia com 5 vãos em arco abatido sobre 6 colunelos, assentes em plintos recortados que rasgam o muro. Interior da lójia com cobertura em tecto de caixotões de madeira e pavimento em tijoleira. Paredes com silhar de azulejos de composição figurativa, monócromos a azul cobalto, com cenas de género e barras com volutas e conchas, entre portas com molduras de madeira, encimadas por friso de dentículos e cornija recta. Panos laterais rasgados, no primeiro piso, por janela de arco abatido encimada, por janela de sacada com frontão de aletas interrompido por concha, com varanda e balaustrada em granito, sobre mísulas volutadas.Fachada lateral O., assimétrica, demarcada no extremo S., por pano ligeiramente elevado, entre pilastras colossais com urnas, sugerindo verticalidade em ângulo com a fachada principal, rasgado por janela de verga recta de guilhotina. Restante fachada rasgada no primeiro piso por portas e janelas de verga recta e gateiras gradeadas e no segundo por janelas de verga recta de guilhotina. No extremo N., corpo da torre, com gárgula zoomórfica, no cunhal, rebocado e pintado, até à altura da fachada, prolongando-a, rasgado por porta de verga recta, no segundo piso, protegida por alpendre sustentado por colunelos, a que se acede por escadaria de pedra, paralela, de lanço único, recto, com arranque volutado. Fachada lateral E., voltada a terreiro, de um só piso, ritmada por pilastas toscanas coroadas por urnas, entre janelas em arco abatido, de guilhotina, de moldura recortada. Ao centro, portal em arco abatido, precedido por escadaria de 5 degraus de granito, semicirculares.Fachadas voltadas ao pátio, , com varanda alpendrada de ferro e madeira, sobre arcaria simples, com duas portas, no primeiro piso, e três no segundo, a E.,a S., três janelas rectangulares, em cada um dos pisos, sendo as do primeiro resultantes do entaipamento de portas, e a O., janela de guilhotina no segundo piso e no corpo da torre, janela de guilhotina, no primeiro piso, junto ao pavimento, e no segundo janela idêntica e porta de acesso precedida por escadaria de pedra de lanço único, recto, com patamar superior apoiado em pilar de secção quadrada. Fachada posterior do braço E., rasgada por janela de guilhotina de verga recta, de moldura recortada. INTERIOR distinguindo-se, no primeiro piso, a ala N., com adegas, lojas e arrumos, e a ala , com refeitório, copa, cozinha, casas de banho e ateliers oficinais, de apoio à formação profissional. No segundo piso, salões intercomunicantes, com tectos de estuque e pavimento de madeira, gabinetes e salas de aula. Na torre, antiga cozinha com tecto de madeira, com travejamento à vista e pavimento cerâmico. Chaminé em betão, assente em pilares de pedra de secção quadrangular. À esquerda forno de pedra. A ladear a casa, a O., JARDIM de topiárias de japoneira, inscritos em quadras de buxo, com fonte circular, ao centro, delimitido por arcaria topiada de japoneira a S.. EDIFÍCIOS AGRICOLAS, transformados em auditório e dormitório para os formadores. EIRA, murada, com pavimento em laje de cantaria. Junto a esta, ESPIGUEIRO estreito e comprido de paredes aprumadas com corpo de madeira com ripado vertical, assente em mesa sobre pés de pedra, com mós circulares. Cobertura em telhado de duas águas.
ARQUITECTO: Luís Soares Carneiro (1994); D. Emília Ermelinda (atr. projecto do jardim).
Séc. 13 - Referência a Gonçalo do Prado; 1520 - referência a João Gonçalves do Prado, 6º Senhor da Casa do Prado; 1534 - sucede-lhe seu filho, Martim Annes do Prado; séc. 16 - provável edificação da torre; séc. 17 - edificação de uma casa; 1661 - D. Maria Ângela Ribeiro, herdeira do senhorio, casa com Roque Pinto Dá Mesquita de Lemos, sargento-mor da milícia de Basto e juiz ordinário da vila; séc. 18, finais - construção da casa; 1758 - nasce José Pinto Machado Dá Mesquita de Lemos e Vasconcelos, Senhor da Casa do Prado e capitão-mor da milícia de Gestaçô e comandante da 11ª Brigada das Ordenanças do Minho; 1780 - nasce o seu filho Luiz Pinto Machado Dá Mesquita de Queiroz e Lemos, que foi Senhor da Casa do Prado e tenente-coronel das milícias de Basto; séc. 19 - obras de beneficiação; colocação dos azulejos da lójia; construção do portal principal; é Senhor da Casa do Prado, José Pinto Machado Dá Mesquita de Queiroz e Lemos (1808-1849), que casa com D. Emília Ermelinda Ferreira Pinto Basto (1813 / ...); construção do jardim de topiárias por iniciativa de D. Emília Ermelinda *4; 1891 - colocação do portão de ferro, na entrada NE. da quinta; 1918 - a Casa do Prado, constituída por todos os seus bens imóveis, é vendida pela família Pinto Dá Mesquita *5; 1994 - recuperação integral do edifício; construção de um edifício anexo para serviços camarários, segundo o projecto do arquitecto Luís Soares Carneiro.